1º de maio terá Ato em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras

http://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/dia-do-trabalho-capa.jpghttp://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/dia-do-trabalho-capa.jpghttp://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/dia-do-trabalho-capa.jpghttp://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/dia-do-trabalho-capa.jpghttp://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/dia-do-trabalho-capa.jpghttp://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/dia-do-trabalho-capa.jpghttp://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/dia-do-trabalho-capa.jpghttp://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/dia-do-trabalho-capa.jpg1º de maio terá Ato em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras

51% da população se diz contrária a reforma da Previdência. O resultado saiu na pesquisa Datafolha da última quarta-feira, 10 de abril. O percentual demonstra insatisfação com a proposta de Bolsonaro, cuja finalidade é acabar com aposentadoria de milhões de brasileiros.

A fim de dar um basta no andamento do inescrupuloso projeto, diversas centrais sindicais, entre elas CUT, CTB, Força Sindical, Intersindical, Nova Central, CGTB, CSB, CSP-Conlutas, junto com movimentos sociais e trabalhadores realizarão um Ato nacional unificado no Dia do Trabalhador, 1º de maio, com o lema “Em Defesa dos Direitos dos Trabalhadores e das Trabalhadoras – Contra o Fim da Aposentadoria por mais Empregos e Salários Decentes”.

A manifestação buscará ainda a defesa do emprego, direitos sociais, democracia e da soberania nacional. Além de lutar também contra a MP 873/19, cujo propósito é desmontar os sindicatos, asfixiando-os financeiramente com a retirada da Contribuição Sindical do contracheque dos trabalhadores.

No Rio de Janeiro, a mobilização ainda não tem local definido, mas a intenção é duplicar a quantidade de pessoas da última manifestação contra a reforma, realizada no dia 22 de março, quando milhares de trabalhadores realizaram uma marcha contra a reforma, da Candelária até a Central do Brasil.

“Não podemos permitir que continuem destroçando nossos direitos. Precisamos dar um basta nessa votação. É hora de parar o Brasil em defesa do futuro das nossas aposentadorias. Não podemos tolerar mais retrocessos e retiradas de importantes conquistas do povo brasileiro. Vamos à luta”, convoca o Presidente do Sinaerj, Edson Machado.

Author Description

Sinaerj

No comments yet.

Join the Conversation