Ruína do patrimônio nacional: Eletrobras deve ser capitalizada até 2020

http://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/02/Ruína-do-patrimônio-nacional-Eletrobras-deve-ser-capitalizada-até-2020.jpgRuína do patrimônio nacional: Eletrobras deve ser capitalizada até 2020

Após uma série de desestatizações que resultou na privatização de subsidiárias da estatal, o governo mira agora no desmonte da maior companhia de energia elétrica da América Latina. Durante evento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o presidente da companhia Wilson Ferreira Jr. anunciou que até março deste ano deverão ser dadas as definições sobre o modelo de capitalização da Eletrobras, com previsão para acontecer até 2020.

Fazendo uso de um discurso falacioso, durante seu pronunciamento, Ferreira Jr argumentou em defesa da capitalização usando como exemplo a venda das distribuidoras que deram início no ano passado e valorizou a holding da estatal. “A sociedade ganha muito se a gente for rápido. No dia 22 de julho de 2016 a Eletrobras valia R$ 15 bilhões, há uma semana já valia R$ 50 bilhões.”, disse.

No entanto, o que Ferreira Jr. não pontuou é que o capital da Eletrobras é abundantemente atrativo à iniciativa privada, logo, os leilões ofertados a “preço de banana” das distribuidoras de energia elétrica obviamente elevaria as ações da companhia no mercado. “Durante anos construímos um patrimônio invejável internacionalmente, é lamentável que a soberania nacional esteja abaixo dos interesses privados de quem comanda a atual política”, afirma Edson Machado, Presidente do Sinaerj.

Capitalização é diferente de privatização
A capitalização é a venda de ativos e ações da estatal, que tem a permanência das chamadas golden shares, ou seja, mantém as ações de ouro, criadas e retidas pelo Estado. A privatização é quando o governo se desfaz de todo o controle acionário para a iniciativa privada, geralmente por leilões públicos.

Author Description

Sinaerj

No comments yet.

Join the Conversation