Reforma da Previdência: a artimanha tem continuidade mais severa

http://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/01/previden.jpghttp://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/01/previden.jpgReforma da Previdência: a artimanha tem continuidade mais severa

O governo de Jair Bolsonaro está mais rígido em relação a Reforma da Previdência. Segundo Paulo Guedes, Ministro da Economia, as mudanças severas são sobre as regras de transição de 10 a 12 anos, metade do tempo previsto no antigo mandato de Temer de 21 anos.

A nova regra faria com que os trabalhadores homens se aposentassem a partir dos 65 anos e as mulheres, com 62 anos. Porém, pelo que parece, deve seguir o mesmo parâmetro do governo anterior, no qual a regra por tempo de contribuição para o INSS seria de 30 a 35 anos de trabalho. A articulação do prosseguimento da medida maquiavélica, ainda não destacou quais seriam os cálculos que poderiam gerar para a sociedade destacando mais uma vez, a desorganização da administração do atual governo.

A Reforma da Previdência pode significar o fim da aposentadoria de inúmeros brasileiros, coloca em risco a proteção social dos aposentados e da economia de centenas de municípios brasileiros, principalmente os que dependem do dinheiro que circulam do INSS. “Essa medida demonstra que não podemos desistir. Precisamos combater todas essas ações contra a população. Vamos em frente, com união e perseverança”, comenta Edson Machado, Presidente do Sinaerj.

Author Description

Sinaerj

No comments yet.

Join the Conversation