Sinaerj assina nota de repúdio contra a privatização da Eletrobras

http://www.administradores.org.br/wp/wp-content/uploads/2018/05/REPÚDIO.jpgSinaerj assina nota de repúdio contra a privatização da Eletrobras

O Sinaerj e as demais entidades representativas dos trabalhadores da Eletrobras (ASEF, AEEL, ACEP, Sindecon, Sintergia e Senge) assinaram nota de repúdio contra o Projeto de Lei 9463/2018 (PL 9463/2018), que tramita na Câmara dos Deputados, em Brasília, e visa privatizar o sistema elétrico nacional. O documento foi assinado após a realização de audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) onde acontecia seminário com o objetivo de discutir o modelo de privatização.

No documento, os representantes dos trabalhadores denunciam que a publicação do Relatório da Comissão Especial foi feita um dia antes da audiência pública realizada no Rio de Janeiro, impedindo, assim, que as contribuições resultantes de um evento oficial pudessem ser contempladas ou consideradas no relatório final. Ato considerado desrespeitoso com a população do Rio de Janeiro e as centenas de trabalhadores do sistema Eletrobras.

“As atividades desenvolvidas pela Eletrobras no Estado do Rio de Janeiro têm significativa influência sobre o restante da empresa, visto que no estado funcionam as sedes da própria Eletrobras Holding e de três de suas controladas: Furnas, Eletronuclear e CEPEL (o maior Centro de Pesquisas do gênero na América Latina). Esta relevante presença no estado faz com que a Eletrobras seja considerada um dos principais agentes responsáveis pela sua integração ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Por meio de suas subsidiárias, a empresa é responsável pelas principais subestações e linhas de transmissão do Rio de Janeiro, além de também ser responsável pela produção e escoamento de energia de usinas importantes, como as nucleares Angra I e II, as hidrelétricas de Funil e Simplício e as termelétricas de Campos e Santa Cruz”, diz em trecho do documento que finaliza questionando “Se a ‘casa do povo’ não faz questão de ouvir a sociedade em um processo dessa magnitude, quem o irá fazer? ”.

Para o Presidente do Sinaerj, Edson Machado, a atitude é totalmente desrespeitosa com aos cidadãos cariocas, visto que em outras unidades federativas houve a oportunidade da realização de seminários que buscassem o entendimento e o debate quanto a privatização da Eletrobras. “Sabemos a intenção deste governo em vender o patrimônio nacional e pelo que percebemos ele não ‘jogará limpo’ para conquistar o que deseja – privatizar o patrimônio brasileiro”, pontua.

Clique aqui e leia a íntegra da nota 

Author Description

Sinaerj

No comments yet.

Join the Conversation